quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Lágrimas

Percorremos um muro de jasmins que nos separam dum encontro, são sonhos e anos distanciados. Sonhar uma luz que nos afague em ternura. Lembranças que nos ensinem um instante de saudade. Tristeza, sorriso perdido em lábios de vento sem o trovejar da esperança de tempestade no peito. A luz pequenina que acompanha o caminhar em cada túnel na escuridão dos nossos pensamentos. Tristeza e mais tristeza, não adianta ouvir sem se ver, é preciso respirar para ser. Qualquer viagem uma estória, se me recordo foi sempre encontro em ternura, por vezes silenciada, por vezes com raiva, mas sempre terno o encontro. Não existe lágrima, já tive dias de dolorosa passagem. O meu passado tem espinhos pelas beiradas, a estrada é longa e torta até esquecer toda infinidade de vidas. Já respiro algum perfume de jasmim ao lado e mais esqueci da dor de não ter. Não quero e recuso se me for oferecido algum coração. Como se fosse possível ofertar algo universal que pertence a todos em unidade. Expandir amor até ficarmos pequenininhos e não mais nos importar com o tempo que passa desapercebido. Estamos diante do mundo inteiro sem nada nas mãos, apenas com algum amor no coração.

Nenhum comentário: