Música!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Ruptura

Desgastadas as palavras
vieram para lhe encontrar
mas o silêncio já denunciava
a ruptura consciente
da vontade de amar.

E todas as palavras
meras lembranças
de um amor por recordar.

Queria mais era escrever
a poesia que inunda
o tempo num intervalo vivo
de ternos encontros.

(Enquanto o espaço
permanecia vazio
o instante voava.)

Sinceramente procuro
o infinito da palavra
nunca gasta.

Esperança...
ou quem sabe um amor
que seja Luz no instante
e viagem no tempo!!


Nenhum comentário: