Música!

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Intima Viagem


Aqui sozinha neste espaço de lembrança
repouso o olhar frio nas surpresas do dia
enquanto a ternura invade, cura e dança
desperto presenças onde brota poesia.

Guardas uma maré de encantos que descansa
na fina solidão onde nasce a magia
pode ser com um sorriso triste de esperança
ou ao sentir a beleza em instantes de alquimia.

As palavras chovem e ampliam no escuro.
A ternura se desfaz, vive na doce escuridão
em cada vazio suspenso do céu mais puro.

A chuva luminosa explode com paixão.
Jasmins, lírios e girassóis derrubam o muro.
Espalha e expande Luz no teu coração.


*

5 comentários:

Bєzєяяɑ Guimɑŗãeร disse...

Muito fofa;
Neste belo cenário linda se formou a poesia.


Belo blog e maravilhoso soneto.


Beijos.

Pedro disse...

Vou ver se vejo isso ainda amanha. :)
Muito obrigado mesmo. :D

Ps: Adorei o blog. (Vou seguir)

Nydia Bonetti disse...

Bela esta explosão luminosa, que faz brotar as flores que derrubam muros! Belo este soneto, Luiza.

Boa semana, beijo!

A Magia da Noite disse...

há alquimistas que ao invés de transformarem materiais pobres em matérias nobres, transforma letras em frases.

Luiza M. Nogueira disse...

Bezerra G. : Obrigada, ainda não sei ao certo se o número de sílabas estão na proporção adequada para ser chamado de um soneto, mas talvez possa ser já que me dei a liberdade de chamar esse tipo duvidoso: "talvez um soneto". :) Beijos.

Pedro: O filme é uma comédia meio escraxada, apenas lembrei enquanto lia o seu blog. Não sinta como uma crítica ok? Obrigada por passar aqui. :)

Nydia: Obrigada, acho que esta é uma das idéias possíveis :). Bom dia para ti. Obrigada pelo elogio. Um beijo.

A Magia da Noite: Sonhadores esses poetas que de vivências etéreas criam frases capazes de gerar alguma alquimia nos nossos pensamentos. :) Um beijo.