Música!

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O Essencial

De alguma forma voltei inteira sem cortes, nem lamentos, nem dor demais. Aconteceu o essencial e aceitei o que se foi, deixei ir, deixei-o ir. Deixei-me ser por um momento inteira.

De que adianta o amor quando ele nos fere sem querer? De que adianta a paixão quando insistimos em acreditar na ilusão? Não adianta, não resulta, não cresce, não surge. Pois tal amor não existe. É um disfarce, sempre foi um disfarce com muitas máscaras. Não entenda, estou em instantes de revolta contra o suposto amor que de repente nunca existiu em quem sonhara. Que de repente passei muito tempo insistindo em ver amor onde não existia mais que um brilho de gente humana. 


E amor? Amor é invenção da gente. 

O que não foi possível construir tem que ser demolido, é urgente que se desconstrua antes de cristalizar-se alguma mentira devido ao tempo de vício na mesmice do dia-a-dia. E tu também desconstrua o que não lhe serve mais: os sonhos falidos, a vida sem sabor, o dia a dia da monotonia. Desconstruir isso é urgente antes que a alienação tome conta da gente e aí seremos meras marionetes orientadas pelo tempo de vício, sem vivacidade no automatismo. 

Não, não e não! Não deixe o ser morrer. Deixe ser! 

A constante novidade de ser. É urgente deixar alguns modos de ser derreter e deixar nascer o instante, o agora, o já e o sempre. Aí sim temos o essencial, o essencial da vida, do ser, do mundo. E de repente é possível amar o tempo, o silêncio, as entrelinhas e talvez o passado não nos doa tanto. Porque o amor depende muito da capacidade de acolher os instantes, os encontros, os seres, a morte e a vida. 

É sempre urgente se permitir mudar!

4 comentários:

A Magia da Noite disse...

se o essencial ficou, ficou você inteira, depois o amor voltará para preencher os recantos onde apenas deixou o vazio entrar.

Luiza M. Nogueira disse...

Tomara! :) bj.

Nydia Bonetti disse...

Acho que a vida é um eterno por-vir ... mas é imprescindível acolher os instantes - todos - e vivê-los intensamnte. beijo, Luiza

Luiza M. Nogueira disse...

Nydia: Abraçar a vida :), beijo.