Música!

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Lampejo

O meu amor tem outro amor.
As suas mentiras são prosa, poesia, arte.
Em cada instante jaz um segredo.
Se inovar o olhar e tirar barba vou.

Digo para esquecer,
que não se faça tristemente brio,
nem ofereça mentiras, beijos ou ventania,
mas o amor faz o que quer
e aceito o que vier.
Amor, desamor ou nada.
Tudo é lucro!

Apenas brinco com os seus lampejos.
Pode ser que depois me arrependa,
mas a vida é curta, o amor é raro
e as promessas todas
que circulem pelo ralo.

Nenhum comentário: