sábado, 17 de julho de 2010

Na janela
a árvore canta
no azul

Três gotas no vidro
lágrimas de céu
repousam

In the window
the tree sings
in the blue

Tree drops in the glass
tears of sky
sleeps
Fotografia de Tainha
escritos de Agosto/2008
*

9 comentários:

Renato disse...

Parabens Luiza pelo seu blog!
Ele me traz bons momentos e muita inspiração!

Bjs!!
Renato

Ribeiro Pedreira disse...

três lágrimas de três olhares celestiais. três pontos de fuga num triângulo equilátero.
bjs!

Edson Bueno de Camargo disse...

A sonoridade do poema em inglês, está perfeita.

Belo poema.

A Magia da Noite disse...

o imenso azul que se preenche com as cores da terra que o quer sempre alcançar.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Renato: Grata, beijos.

Ribeiro Pedreira: a fuga é qualidade de toda lágrima que cai. :) beijo.

Edson: Feipeito, porque aqui não existe perfeição. :) beijos.

A Magia da Noite: tudo quer se encontrar...:) beijos.

José Carlos Brandão disse...

Como um pulmão
a árvore se ramifica
no azul do céu.

... e o haicai se ergue
(a maritaca grita)
como um balão.

Luiza Maciel Nogueira disse...

José Carlos: esse deveria ter sido poema :), casou bem com a imagem, beijo.

Ricardo Mainieri disse...

Oi, antes de mais nada, obrigado pela visita ao blog.
Tenho identificacão por este tipo de verso minimalista.
Inclusive tenho vários deles no blog.
Eles são como a captação de uma imagem de sonho, um instantâneo fotográfico, o resultado de um silogismo poético.
Tem um grupo que publica, anualmente, uma agenda que se chama Agenda da Tribo que recebe e seleciona este tipo de poema.
O endereço para vc., caso se interessar: http://www.livrodatribo.com.br

Beijão.

Ricardo Mainieri

Lupussignatus disse...

amados

braços

que

enlaçam

o corpo

do céu


[melodiosa
conjugação]


*beijo*