Música!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Náufrago

(Tempo a Naufragar no Mar)


O tempo naufraga lentamente...

Para as minhas retinas
é tudo silêncio absoluto
até a caneta se recusa a escrever.



hoje também estou aqui




8 comentários:

Fabio Rocha disse...

O silêncio da imagem afunda no silêncio do poema. Que coisa mais bonita! Beijos, Luiza

Fouad Talal disse...

meio-dia e quinze.
hora fatídica.

Fred Caju disse...

Tanto no traço, como no verso!

CamilaSB disse...

O tempo também tem o seu tempo...e a caneta também se cansa!
Olá Luísa...gostei do seu espaço...parabéns! Um beijinho!

Luiza Maciel Nogueira disse...

Fabio: Obrigada, :) beijo.

Fouad: ou meia noite e quinze, beijos.

Fred: :), beijos.

Camila: grata Camila, beijos.

José Carlos Brandão disse...

... imagino o relógio,
como Jonas, no ventre
de um peixe irreal.

Ribeiro Pedreira disse...

o tempo se dissolve no mar nos riscos do silêncio soturno.

Luiza Maciel Nogueira disse...

José: que imaginação, deve ser por isso que escreves, rsrs ;) beijo.

Ribeiro Pedreira: o mar se dissolve no tempo. :) beijo