quarta-feira, 14 de julho de 2010

Saudade Indevida


Aqui nesse canto de saudade indevida
pisquei o silêncio, o gesto, o tanto
sem pensar que seria ausente
o mistério de sonhar.

E o amor se revelou escondido
num chamado perdido
nas sombras do olhar,
no escuro ao redor da chama
dessa paixão com muito drama.

E a chuva, o temporal, a tempestade
a afogar de intensidade qualquer paz.
O caos adentrando na vida,
a poesia embebida
e nada mais...

5 comentários:

Assis Freitas disse...

se tem poesia o nada mais é acessório,

beijo

A.S. disse...

Luiza...

Versos de Luz!!! Lindooooooo....

BeijO
AL

Ribeiro Pedreira disse...

o preto e branco da fotografia revela sombras que piscam entre o silêncio e o drama de sonhar, enquanto a poesia vai se entumescendo desde as entranhas.

bjs!

AC Rangel disse...

Aqui neste canto de saudade indevida encontrei beleza, encontrei você...

beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

Assis: Sábias palavras, bjs.

A.S.: Obrigada, bjs.

Ribeiro: a poesia liberta, faz voar, deixa mais leve a vida, as vezes mais triste outras vezes feliz...enfim. :) bjs.

AC Rangel: :) bj.