sábado, 14 de agosto de 2010

Singelo

(Bailarina e pássaros - por Luiza Maciel Nogueira)




do singelo que repousa
destoam moradas
que o vento sopra e repele
para outra noite
outro corpo, outra pele
outro olhar







10 comentários:

Juan Moravagine Carneiro disse...

Agradecido pela visita ao Rembrandt. Gostei muito do seus espaço...
aliás maravilhosas as imagens...

abraço

Primeira Pessoa disse...

belo casamento palavra-imagem.

é sempre bom estar aqui.

Lou Vilela disse...

Desenho e texto em sintonia...
Como sempre, uma belezura!

Beijos

Tania regina Contreiras disse...

De uma singeleza cheinha de beleza: eis a verdade!
Beijos

Por que você faz poema? disse...

São sempre outros corpos,
outras noites,
outros olhares.
Mas há sempre algo igual,
que se repete cada vez.

Fred Caju disse...

A bailarina dança tão bem quanto mais só
e o palhaço quer conquistá-la sorrindo
só não vê
sua graça não tem glamour
só não vê
a dançarina já tem dono
.

Zélia Guardiano disse...

Belíssimo, Luiza!
Versos inspiradíssimos, lindamente ilustrados por esse seu encantador trabalho plástico!
Quanta arte, da genuína, numa mesma postagem...
Beijo, querida!

Assis Freitas disse...

há algo que se repete no outro, como uma dessemelhança,


beijo

Fernando Santos (Chana) disse...

Bela imagem...belas palavras...Espectacular....
Cumprimentos

Lara Amaral disse...

Seus desenhos são lindos demais, fico boba a observar. E o poema encaixa docemente.

Beijos.