Música!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Da Melancolia


(Gotas - Luiza Maciel Nogueira)



Já se derrama no olhar
para renovar as águas do tempo.
alvitres, ternuras, nódoas, impulsos.
Nostalgias, miragens, lembranças.
Nós que se vão no compasso perdido,
instante de vida prometido.
Registro de cor, sentido e sentimento
pra não dizer do silêncio e do nada
do poema selado, marcado,
desaparecido, exaurido, acabado.
Do poema abandonado.











7 comentários:

Hilton Valeriano disse...

Só falta Chopin como fundo musical... Belo!

Assis Freitas disse...

as águas do tempo, esse rio e o seu curso e correnteza, melancolia vem em gotas, como essa pintura,


beijo

Tania regina Contreiras disse...

O poema abandonado continua correndo, como um rio...continua poema.
Belo!
Abraços

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Poema bem a cá ba[r]do, ops... barda... belíssimo! ;)

Bєzєяяa Guimaŗãeร disse...

Muito bonito.





As coisas passam, desaguam, escorrem para um outro lugar.




Beijos,
Ry.

A.S. disse...

Um poema abandonado, renascerá um dia pleno de cor e luz... tal como o belo poema que que emerge da imagem...


BeijOOO
AL

Zélia Guardiano disse...

Lindo demais, Luiza! Demais!
Parabéns, querida!
Abraço, todo entremeado de gratidão pela visita que me fizeste...