sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Poema picareta

(Vinho - por Luiza Maciel Nogueira)



sonho na mão
um café para a solidão
embriagarmos até o fim
vai e vem, vem e vai
ali e aqui, aqui e ali
nem aí!
e pergunto
qual quê?






14 comentários:

Aninha disse...

picareta mesmo né, risos

beijinho

fouad talal disse...

qual quê?
vinho

qual é?
tinto e seco

qual foi?
café na manhã seguinte

hic!
beijos...

Assis Freitas disse...

versos picarescos,

beijo

Fabio Rocha disse...

não pergunte... ;)

Pérola Anjos disse...

E o café faz passar o sono, mas o sonho não...

Lindo o teu cantinho poético!

Beijos!

Marcelo Novaes disse...

Luíza,




O poema dos monossílabos não é picareta.






Um beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Marcelo: o poema não, mas a quem pergunto sim, um picareta terno :)

Beijo

Lara Amaral disse...

Doce moça, um ótimo fim de semana para vc, com todo esse seu colorido que nos oferece.

Beijo.

José Carlos Brandão disse...

Somos condenados à solidão - e à comunhão. Somos complicados.
Beijos.

aluisio martins disse...

alusão a Chico? Um café para a solidão... Cá há fé a sonhar com mãos...
belo
abs

Luiza Maciel Nogueira disse...

Lara: pra ti também querida, muito feliz com esse seu carinhoso comentário! Bons dias! Tudo de bom! Beijos!

José Carlos: é incrível! :) beijos

Aluísio: não tinha pensado em na célebre frase de Chico "Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma.", mas tem tudo haver! Obrigada pela lembrança, beijos!

Vanessa Souza Moraes disse...

Meus porres são apenas de café :)

Gosto muito das tuas imagens.

Gaby Soncini disse...

Bem picareta mesmo rs.

Desenho lindo!

Grande Beijo.

Ribeiro Pedreira disse...

um brinde à imprescindível picaretagem com tons Merlot.

qual quê?

vá saber... tudo pode acontecer, inclusive nada.

bjos, moça!!!