quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Do distante

(por Luiza MN)


não quero me despedir
do sorriso
que não faço parte
do olhar
que não me contém
do que não me é

e que mesmo assim
pela presença que toca
agradeço

7 comentários:

Leonardo B. disse...

[no ser incondicional, tudo se entrega, tudo se aceita: seja o coração mestre-de-obras com vocação de arquitecto do mundo]

Um imenso abraço, Amiga Luiza

Leonardo B.

Ana disse...

Lú, o que não te é não é pra te ser. somos demais para poucos. beijo

Vanessa Souza Moraes disse...

O sentimento pode valer mais do que o personagem.

MariaIvone disse...

Lindos os seus poemas, excelentes os seus desenhos. ADOREI!!!

bjs

Luiza Maciel Nogueira disse...

Vanessa: eu sempre esqueco disso...bjo.

Assis Freitas disse...

do que há, há a entrega


beijo

Ribeiro Pedreira disse...

a presença é um sorriso que não se despede do olhar que não contém, mas contempla.
bjs!