domingo, 21 de novembro de 2010

Poema de brevidades

(por Luiza Maciel Nogueira)



gotas arrebentam nas ondas do tempo

o mar aparenta a vivacidade do mundo
movimenta ondulante em ritmo profundo

enquanto o sol escalda o horizonte
os olhos brilham nas rochas, no mar em reflexo solar

em lágrimas tudo gira quando o vento emudece
uma música suave de amor breve



12 comentários:

Marcantonio disse...

Espantoso de bonito!

Luiza, agora que me lembrei que poderia ter posto naquele 'Pane" o seu desenho de pássaros nas nuvens! Ainda é tempo, posso colocar?

Beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

claro que pode né Marcoantonio, nem precisas pedir mais, vc é da casa. :) beijos!

Ribeiro Pedreira disse...

AMORES BREVES TAMBÉM SÃO FEITOS DE LÁGRIMAS.
BJS!

AC disse...

O decifrar do amor, em jeito de reencontro, no movimento profundo das águas…
Luiza, para quem dele gosta e o entende, o mar costuma ser generoso...

Beijo :)

Zélia Guardiano disse...

Lindíssimo, Luiza!
Um presente de encantar!
Grata, querida...
Enorme abraço

Luiza Maciel Nogueira disse...

AC: eu nem entendo nem gosto, mas ele me fascina, talvez goste, quem sabe nem conheço. :) beijo

Assis Freitas disse...

poema de brevidades intensas, maravilha



beijo

Valquíria Oliveira Calado disse...

Lágrima de amor, rima com flor, colorindo dia, tua vida, teu coração. Beijos e boa semana.

Vanessa Souza Moraes disse...

O mar traz mil inspirações :)

Cris de Souza disse...

poema de brevidades marcantes...

que belezura!

beijo, luminosa.

José Carlos Brandão disse...

Muito bonito, Luiza.
No efêmero, a beleza.
Beijos.

Carla Diacov disse...

ai...ai ai ai.