quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Poema sobre poema

 
(por Luiza MN)



Os poemas são como o vento.
Vão e vem pelas nossas mentes.
Passam pelos nossos corações.
Sem rumo aparente.

As vezes como um vento frio do inverno
trazendo introspecção,
cortando nossos corações,
refletindo sobre a razão.

As vezes como um brisa acolhedora da primavera
acalentando nossos inquietos corações,
trazendo esperança
e boas sensações.

Também pode ser
como as tormentas de verão
forte, imprevisível,
sacudindo nossas emoções.

Por isso eu digo
não me pergunte como será o próximo
pois assim como o vento
os poemas são imprevisíveis.



escrito por Renato Nogueira



6 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

Rê então eu adorei o seu poema, foi um verdadeiro presente para mim. É mesmo isso os poemas, tal como a vida são imprevisíveis. O teu poema me trouxe um esclarecimento maior, uma leveza, um sentimento bom de poder compartilhar contigo isso. Beijos!

Valquíria Oliveira Calado disse...

Poemas em tela, poemas em sentimentos, poemas em letras, poemas recebo, absorvo e aplaudo, belíssimo. beijos.

Ana disse...

esse Renato escreve muito bem! bjo Lú

Vanes disse...

Lindo poema e bela imagem! Parabéns, o trabalho está belíssimo!

Anônimo disse...

Lu, que ilustração linda vc colocou.
Ficou muito bonito. Fico muito feliz que tenha gostado, pois tenho aprendido muito com vc. É uma felicidade muito grande para mim poder compartilhar isso tudo com vc.
Muito obrigado pelo presente!
Beijos!!
Renato Nogueira

Assis Freitas disse...

maestria sobre maestria,


beijo