terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Um minuto apenas


 - É sempre um desencontro o nosso encontro. Não tem palavra que nos diga dessa confusão que vem do coração, desses silêncios desconfortáveis que roçam a espinha e principalmente das palavras sempre tão mal compreendidas. É melhor não falar então - mas então não se tem encontro - se tem "disse não me disse". 

- Será mesmo que as palavras resolvem o encontro Mia? Você não pode de vez em quando apenas sentir olhando nos meus olhos? 

- Eu não sou de ler mentes Fábio, nunca sei o que espera de mim...se porventura espera alguma coisa. 

- Ah Mia deixa disso. Nós somos amigos.

- Somos?



11 comentários:

Juan Moravagine Carneiro disse...

Escrito que tece elementos que estão intresecos a todos nós...

abraços!

Luiza Maciel Nogueira disse...

ei Juan eu tento entrar no teu blog e não consigo a página parece que está travada, o que é isso hein? (se voltar responde ok?) bjs

Valquíria Oliveira Calado disse...

Então a eterna confusão verbal... a mim o silencio martiriza, onde deixamos de nos olhar???

Aconselho um abraço demorado, ele conserta tudo, porque junta os corações num mesmo ritmo.
bjinhos amada e feliz ano de novo.

Teresa Cristina flordecaju disse...

Ah, lembro d minha adolescência! Como era bom estar apaixonada!!
O meu carinho e meus cumprimentos por tão belo texto.

Teresa.

Vanessa Souza Moraes disse...

Lembrei de Inês Pedrosa (em Os Íntimos): que se foda o carinho.

Amizade = carinho.

Paulo Becare Henrique disse...

Luiza,

A princípio, vim apenas agradecer sua presença entre os seguidores do meu blog e simplesmente me encantei com sua arte, seu talento e sua sensibilidade. Também te sigo com muito prazer.
:)

Maria Rita disse...

As vezes o não dito grita aos nossos ouvidos.

Estou encantada com tuas cores e letras, tens a poesia correndo em tuas veias...belíssimo!

Beijos pra Ti

Assis Freitas disse...

nem sempre o que forma um é uno,

beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

Maria Rita: com tantos comentários assim vou começar a me achar maravilhosa (não, não brincadeira), obrigada pelos tantos elogios! Beijo no coração!

Cris de Souza disse...

ela quer poesia, ele quer prosa...

Úrsula Avner disse...

Oi Luiza, silêncios que roçam a espinha... Bela metáfora num envolvente texto. Feliz 2011 com grandes conquistas minha amiga. Bj grande.