Música!

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Busca


(Chuva para Vinicius- por Luiza Maciel Nogueira)


Procurei a gota, 
ínfima beleza 
que beija o corpo. 
Essência, lume, 
universo, vida, pó, 
mas um dia ela seca 
ou evapora. 
E então, como não 
dizer adeus? 
Renascer o canto 
sem resquício de mágoa 
ou passado. 

É quase impossível.
(eu sei) 







8 comentários:

Ana F. disse...

que lindo, Luiza!
é mesmo quase impossível... tudo morre, mas nada morre.

bj

Maria Rita disse...

Quando eu crescer ainda vou escrever assim...lindo!


Beijos pra Ti

Assis Freitas disse...

tudo se recicla, diria um Lavoisier pós-moderno,


beijo

José Carlos Brandão disse...

Uma gota de beleza é toda a beleza.
A beleza está em nós.

Um beijo, Luiza.

Anônimo disse...

Ah Lú, essa imagem é tão bela e o poema que a acompanha tão triste. Beijinho.

Sandrio cândido. disse...

Impossível que o canto não tenha algo do passado. beijos

Ana disse...

Lú, esse desenho é tão belo e esse poema tão triste. Bjinho

Lara Amaral disse...

Há lembranças que chovem em nós e, por mais que nos evaporem, há gotas que ficam sempre a nos umedecer.

Beijo, querida.