quarta-feira, 2 de março de 2011

O Urubu


(Título em suspensão - por Luiza Maciel Nogueira)



era um urubu 
que lá no alto voava
em busca de sangue,
em busca de carne
era um urubu 
e tinha a sua beleza
no céu nublado 
as ondas deslizavam
e deslizavam pelo vento, 
pela gravidade do amor
um urubu lá no alto voava
a procura de alimento
peixes mortos na areia
em decomposição
era um urubu 
que comia os restos 
e voava




13 comentários:

Juci Barros disse...

Gostei; singelo e lindo.

Beijos.

Paulo Becare Henrique disse...

É preciso aprender a enxergar a beleza dos céus cinzas.

Leonardo B. disse...

[já em si, todo o verso é voo, é asa que revolve o céu, remexe o ar, devagar]

um imenso abraço, Luiza

Leonardo B.

Cris de Souza disse...

em tempos de nuvens urubu vira guia...

beijos claros!

Fouad Talal disse...

ei, me lembrou "A grande onda de Kanagawa"...


bjos!

Luiza Maciel Nogueira disse...

Fouad: sim, é de propósito Fouad, tudo começou com Kanagawa - uma influência fortíssima nas minhas ondas, sobre o mar que desenho. Ele, Van Gogh, Picasso e alguns outros que me inspiram - hoje em dia é tudo tão carnívoro, uma atividade de comer a arte que aparece na frente e refazer, resignificar, resurgir algo novo (porque não vomitar). rsrs Beijão.

Suzana Martins disse...

A poesia que se compõe em meio aos versos de uma natureza simplória...

Beijos

Ana SS disse...

até urubu fica bonito.

Vanessa Souza Moraes disse...

Sempre haverá urubus.


http://vemcaluisa.blogspot.com

Assis Freitas disse...

Tom Jobim tem um disco lindo chamado Urubu, gostei do "título em suspensão" do quadro - prá que outro


beijo

Everson Russo disse...

Beleza livre que percorre o ceu infinito,,,assim como infinito é o amor...obrigado pela visita...volte sempre que desejar...belissimo seu blog...grande beijo de boa tarde.

Cadinho RoCo disse...

Tal como nós, o urubu em algum momento pode ser mais que um urubu, pode ser poesia.
Cadinho RoCo

Cadinho RoCo disse...

Tal como nós, o urubu em algum momento pode ser mais que um urubu, pode ser poesia.
Cadinho RoCo