quarta-feira, 2 de março de 2011

Pelo canto


(Janela por Luiza Maciel Nogueira)


desgrudo os lábios
dos teus olhos, da tua pele
sopro o pó do amor
não quero sufoco
canto só pelo canto


5 comentários:

Suzana Martins disse...

Canto pelo canto que nossos cantos têm...

Beijos

Leonardo B. disse...

[apenas nos pertencem aqueles, tudo aquilo não sabemos como transportar: estão e persistem!]

um imenso abraço, Luiza

Leonardo B.

Assis Freitas disse...

como disse Cecília: não tenho inveja às cigarras, também vou morrer de cantar,


beijo

Paulo Becare Henrique disse...

Vi-me debruçado nessa janela, balbuciando distraidamente seu verso...

Lara Amaral disse...

Essa sua paisagem desenhada rouba os versos dos meus olhos. Lindo poema também!

Beijo.