Música!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Despedida: onde existe finitude

 

- Eu queria te ajudar Fábio, mas você já é bem grandinho para saber como se cuidar. Sou eu que preciso de ajuda, não você. Eu não posso te ajudar quando na verdade o que preciso é me cuidar.

- Mas então você vai embora? Mia, eu vou sentir a sua falta...

- Por um tempo talvez sim e depois você esquecerá de mim...

- E você vai esquecer de mim?

- Vou.

(Fim dos diálogos de Mia com Fábio) 




*

9 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Deixa partir,
abraços

Camila disse...

Ela foi fria nessa parte... senti pena dele.

Suzana Martins disse...

partindo...

beijos

Assis Freitas disse...

um adeus cirúrgico,

beijo

Sam disse...

Adeus ensaiados, doem mais e demoram mais para se apartarem...

Meu beijo, Lu
Samara Bassi

dade amorim disse...

Texto e imagem dialogam e se completam.

Beijo beijo.

Celso Mendes disse...

É, realmente um adeus cirúrgico. Mas não existe finitude...

Jorge Pimenta disse...

nada nos pertence...
um beijo, querida luíza!

Ana disse...

Eu que sempre achei que eles fossem ficar juntos...bjs