terça-feira, 10 de maio de 2011

Nada é só, tudo é junto.


(A flor do desejo em cores - por Luiza Maciel Nogueira)



a mudez de outrora
não preenche os lábios
de azuis nos olhos nús
não abandonei o tempo,
segui rumo ao dia
não cansei do mar,
apenas fiz silêncio
de trovejar enigmas








5 comentários:

Anônimo disse...

Gostei muito dessa ninfa dançando e cantando...
Belo poema, que tanto fala sobre o silencio!

Beijos
Renato

Maria Rita disse...

Quando a boca silencia a alma se pronuncia.

Lindo como sempre!

Beijos pra Ti

Leonardo B. disse...

[condensar universos, versos numa palavra só, um tudo nada de imensidão]

um imenso abraço, Luíza

Leonardo B.

Assis Freitas disse...

poemaço, de trovejar realmente


beijo

Lara Amaral disse...

"silêncio de trovejar enigmas" é para poucos!

Beijo, flor.