Música!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Agudo


(Berro por Luiza Maciel Nogueira)


berro sem fim
e depois
(calo)

só não pise
no meu calo








8 comentários:

dade amorim disse...

Gosto do poema de verdade, Luiza, como te disse no Face.

Beijo beijo.

Úrsula Avner disse...

Oi Luiza,

legal o jogo de palavras, gosto de poemas com palavras que se repetem com outros significados... Versatilidade que enfeita a poesia. O desenho é bem intenso e bonito. Bj.

Por que você faz poema? disse...

Nem pise no meu calar.

Wellington Bernardino Parreiras disse...

Meiga Luiza, adoro tua arte e adoro tua sensibilidade, sempre e sempre mais e mais....

Quando em teu calo alguém ousar pisar ou acidentalmente te afetar assim com um sem-querer-querendo, conte comigo.


Hum, jáia me esquecendo, a primeira vez que vi sua imagem eu pensei que fosse um umbigo, ficou linda.

Abraços fraternos

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

Uma belíssima trova poética de alerta e de razões para nos afirmamos

regina disse...

Um beijo Lú, agora fiz um blog. colocar as fotos do Egito.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Olá

As palavras
quando simples,
chegam
suaves ao coração...

Vida plena em teus dias.

Cris de Souza disse...

boa! vamos "botar" a boca no mundo antes que o mundo se desbote.