terça-feira, 7 de junho de 2011

Jasmins para ti*



canta fins

inícios repentinos
não convergem delírios
passagens e (senda)
para ti 
flores brancas
mutações
em encontros
passo mínimo
íngrime verso
em intervalos
de tempo

(sóis)





7 comentários:

Assis Freitas disse...

jasmins em jardins,


beijo

Tatiana Moreira disse...

E o belo jasmim exala o perfume desse encanto!
Um beijo carinhoso

Lara Amaral disse...

Lindíssimo poema, flor!

Long Haired Lady disse...

intervalos de tempo onde mora o perfume...

Sônia Brandão disse...

Um poema com cheiro de jasmim!

bjs

Celso Mendes disse...

adoro esse seu lirismo sintético mas imenso.

beijo.

Anônimo disse...

lindo Lú!
bjinho