Música!

terça-feira, 14 de junho de 2011

Poemas de um inverno rigoroso



Gelo*



contente-se
com o nada
o risco é
tudo
risca a fresta
do verso


(aqueça)



Neve*

frio ardor
sugere mínimo
amargo tardio
doce


(derreto)



Floco*

oro versos cinzas
em sombrias
madrugadas
inspiro pouca
esfera
difamo pó
é tão frio


(trema)




















(lírio)
saudades do sol
ternos olhares passam
nesse delírio de inverno




*

3 comentários:

MIRZE disse...

Nossa, Luiza!

Ler seus lindos poemas e ver ao mesmo tempo sua arte, chega a dar um nó!

Linda essa neve branca e essa flor com flocos de neve!

Beijos

Mirze

Luiza Maciel Nogueira disse...

Mirze é uma fotografia eu jamais faria um desenho tão bonito assim

beijo

Ana disse...

A menina faz arte e está inspirada, o pirada? rsrs
beijo Lú