sexta-feira, 29 de julho de 2011

É pedra


era pétala de esperança
ou flor de desejo
não sei, hoje já não é tanto mais
que pedra no caminho...
por vezes tropeço no fardo
por outras é pérola rara
e só agora vi amor
é preciso trocar de lente,
de pele, de rosto, de olho,
de osso, de alma, de sonho
e até de ti
para nascer



*para Carlos Drummond de Andrade 
e sua "pedra no caminho..."



13 comentários:

dade amorim disse...

Drummond estaria feliz da vida com esse poema, Luiza. É a pedra explícita.

Beijos.

Jorge Pimenta disse...

são assim os lugares do corpo: ora habitáveis, ora devolutos, quando não mesmo... insuportáveis.
beijos com todas as pedras que nos ensinam a caminhar, luíza!

Tatiana Moreira disse...

Ei Luiza...
Eu estava com saudades de estar com vocês da blogosfera!
Retornei das férias e espero que possamos estar todos juntos novamente.
Fiquei encantada com o que li... Sensibilidade pura!
Um beijo carinhoso

Sandrio cândido. disse...

Luiza
Pedra que nos fascina esta. abraços

Cris de Souza disse...

suspeito que até pedra pode virar amuleto...

beijo, flor luminosa!

Analuz disse...

Linda voz, Luiza...

beijinho encantao!

Assis Freitas disse...

é um caminho mineral,


beijo

Suzana Martins disse...

Um caminho de preciosos versos...

Beijos

Anna Amorim disse...

Luiza,

Com tua permissão vou postar no meu Blog "PALAVRA DE MULHER", identificando tua autoria. Esta muito relacionado ao meu momento.

Abraços,

Anna Amorim

Zélia Guardiano disse...

Versos maravilhosos, encantadora ilustração!
Fico impressionada com sua versatilidade: domínio perfeito em ambas as artes!
Bravo, Luiza!

Blog do Pizano disse...

Luiza, que belo blog

é pérola

parabéns!!!

Celso Mendes disse...

O poema é lindo. Passa uma melancolia mas busca uma solução. Perfeita a inspiração em Drummond.

beijo.

Primeira Pessoa disse...

às vezes precisamos trocar de pele, luiza.

maldições. tatuagens.

só às vezes.

beijão,

r.