Música!

domingo, 14 de agosto de 2011

Calejo



o terno azul nas bordas
manto fino de dor
em círculos itinerantes

a vida não para
de calejar nosso instante
das lágrimas dos outros

(por vezes tão nossas)