Música!

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Guarde contigo

guarde contigo um poema
um esboço de ternura no bolso 
tuas pupilas percorrem corpos 
teus olhos cantam estórias, 
versos sussurram sonhos 
das lembranças inventadas 
e poemas vibram luzes 
de quem um dia pousou  
seu Ser em um pedaço  
ínfimo de papel 

(e se entregou...)


7 comentários:

MIRZE disse...

QUE LINDO, LUÍZA!

Pousar o ser em um papel e se entregar...o SER!

Belíssimo!

Beijos

Mirze

Celso Mendes disse...

que coisa mais bonita, Luiza. para se guardar em um pedaço de papel ou na memória ROM de espaços virtuais, mas para se guardar...

beijo.

Ana disse...

Cada vez mais profunda essa menina...beijo.

Cris de Souza disse...

há sempre espaço pra delicadezas como esta.

Suzana Martins disse...

Guarde contigo os versos que tão bem desenhas...

Beijos

Poesia Cibernetica (Berg) disse...

Maravilhoso...belo poema!!!

Assis Freitas disse...

essa entrega ao papel, vertigem para ser



beijo