segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Haicais de ausência



sem o silêncio da onda
a vida continua longa
e só desagua o mar




sem partitura
diz o tempo que precisa
de ternura




qual o destino da semente
quando pisada resolve
partir



Nenhum comentário: