Música!

sábado, 6 de agosto de 2011

Um dia



um dia, quando for noite
me ausento do corpo
e sonho pra sempre
o mundo Van Gogh
de noites estreladas
cerejeiras em flor,
matagais azuis no mar
em sussurros de vendavais
em infinitos matizes
sem a crueldade
dos homens de coração
de gelo


um dia 2

o gelo no peito
o frio das horas
a fragilidade da pele
sem alma...


Um dia 3

Em Picasso
a pele não resiste à realidade
são fragmentos em busca de amor

sem delírios e miragens
o homem nunca foi inteiro
é oco, vazio, cubo de gelo
que não derrete...

Nenhum comentário: