segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Sebo de flores



as pétalas derramaram-se 
 em tuas mãos, 
com o tempo elas se irão, 
no sebo das flores 
quando for noite desabrocham 
em madrugada insone 

 revelam odores em segredo 
de beleza incomum 
ninguém as conhece, 
distantes de tudo 
velam em tuas mãos 

 no sebo das flores 
todas as flores renascem 
quando encontram um coração


3 comentários:

Ianê Mello disse...

Lindo poema e imagem. Parabéns, amiga. Bjs.

Anônimo disse...

Belissimas ilustrações! E as flores revelam a essência...
beijos
Renato

Ana disse...

Lindo Lú! Adoro sebos.

Beijos