quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Sobre algum silêncio III


indício de chuva
nos olhos fere o tempo

indefinível o traço
dos versos como orvalho
que pousam nas pétalas

e não agridem a asa 
da (p)rosa



5 comentários:

Anônimo disse...

Belo Luiza, belos silêncios.

Raphael Grizotte disse...

Muito soberbo orvalho, chuva, uma linda forma...O que é esse silêncio!Uma flor uma prova ?Gostei.

Assis Freitas disse...

tudo sobre os silêncios, em gotas e cascatas,



beijo

Tania regina Contreiras disse...

Lindo...suave!
Beijos,

Bípede Falante disse...

E a prosa tem mesmo asas de boa plumagem :)
beijos
PS. Chegou o seu lindo cartão. Amanhã, vou mandar colocar em uma moldura.
Obrigada. Obrigadíssima :)