sábado, 10 de dezembro de 2011

Sobre algum silêncio V

algo amanhece 
e anoitece em nós 
algo não sei o quê, 
que de repente 
aparece, desaparece 
como ciclo súbito 
de sóis, luas, caminhos 
e toda uma constelação 
imersa em caos 
e embebida de mistério...

4 comentários:

Jorge Pimenta disse...

silêncio-clamor, este teu, onde todas as palavras são a voz que nos persegue.
beijinho, luíza!

Jorge Pimenta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sam disse...

Num canto
algum silêncio canta
aos meus ouvidos.

Beijo na alma, Lu :)

MIRZE disse...

Teu silêncio canta alto, Luiza!

Com um lirismo afinado, explode em versos!

Beijos

Mirze