quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Recado

uma xícara de sossego
café com poesia
do livro e seu destino
deveria ser morar em pupilas,
e não deixá-lo abandonado
em uma estante vazia
nasceu com intuito
de enamorar olhos obtusos
criar sementes, jardins, paisagens
quer ser sempre mais
do que páginas escritas
como um homem
quer ser sempre mais
que carcaça






4 comentários:

Ana disse...

lindo poema Lú! beijo

Jorge Pimenta disse...

e se o não é, querida luíza... como o musgo é sempre muito mais do que ornamento da rocha: é cor, é veludo, é natal, é pele que se afaga...
beijos regozijando-me com o teu regresso às palavras!

Fred Caju disse...

Finalzinho arrebatador!

dade amorim disse...

Luiza, que bom ver teus poemas de novo. Este é uma delícia total.

Beijo beijo.