segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Sobre algum silêncio IX

a solidão da palavra nunca dita
indefinível perfume
em prece e silêncio absoluto

jaz a palavra redescoberta
em caótico esplendor
no corpo, no seio, na alma

tumor, textura, sonho
jaz em outros lábios
a palavra nunca dita

(Luiza Maciel Nogueira)


3 comentários:

Ana disse...

para dizer em voz alta e gritar alto Lú. bjinho

MIRZE disse...

Lindo, Luiza!


A palavra nunca dita, por medo, por temor, ou até por amor.Espero estar viva para lê-la.

Beijos

Mirze

marlene edir severino disse...

Não dita
mas falada
no silêncio corporal
na intensidade do olhar...

Muito bom!

Beijos!