terça-feira, 6 de março de 2012

Alguém esbarra em mim...

alguém esbarra em mim
como quem procura contato
como quem se comunica
com sede ou fome de afeto

alguém esbarra em mim
na pressa caótica do cotidiano
não perco tempo, não paro, não ouço,
só a rua, os motores dos carros, o trânsito
são a prece da cidade na hora do rush

a ironia é branca
como a minha face pálida
o passado morre sempre,
mas vive sabe-se lá porque,
teima em ser lembrança
o que parece eternidade

alguém esbarra em mim
nesse dia turvo, sem fim

também estive junto a um grande haicaísta, aqui:
http://haicaienaomachuca.blogspot.com/2012/03/pelo-risco-de-luiza-maciel-nogueira.html




7 comentários:

Ricardo António Alves disse...

Gostei muito.

Cristiano Marcell disse...

Muito bonito, minha cara!O cotidiano de uma metrópole sob um olhar bem particular e sensível!

Lara Amaral disse...

Muito bom, Luiza, o seu recorte do cotidiano caótico transformado em algo sensível. Gostei muito!

Beijo.

Assis Freitas disse...

no turbilhão tantos encontros que não se concluem,


beijo

Celso Mendes disse...

a ironia é branca e todas as cores se nos encostam em alguém que passa ao lado. e seguimos.

gostei muito, Luiza.

beijo.

byTONHO disse...



→ C e H n O t Q r U e E ←

:o)

Samara Bassi disse...

Venho deixar um abraço imenso e retribuir o carinho, seja por tantos anos, ou por alguns dias. Mas principalmente, pela troca e bonitezas que surgem e dos amigos que conquistamos e que no fundo, no fundo, não são tão virtuais assim...

Tem um presente pra você aqui: http://samarabassi.blogspot.com/2012/03/vasto-coracao.html

Espero que se sinta num abraço e que goste.
Deixo o meu carinho,
Sam.