sábado, 14 de abril de 2012

Flor do silêncio


no mistério do indizível
rumo ao infinito
o ínfimo nos espera

evoca a sinfonia
do silêncio a brotar poesia
continuamente

6 comentários:

Bípede Falante disse...

a brotar Luiza, poesia, traço, cor e linhas :)
beijoss

Assis Freitas disse...

germina, germina em sílabas



beijo

Renato disse...

Lindo conjunto, beleza infinita!
Beijos

Gaby Soncini disse...

do silêncio a brotar poesia
continuamente

Que assim seja sempre!

Que lindo Luiza *.*

Noslen ed azuos disse...

...odoro seu místico romântico...

ns

Cris de Souza disse...

deixa aflorar!