sexta-feira, 13 de abril de 2012

Lar sombrio

o toque sombrio
das esferas em brio
do mundo vadio

as grades dos olhos
o limite da vida
a cicatriz na ferida

a cruel certeza
a singeleza da ternura
ironia tua

o lar das grades
sem perspectiva de viagem
quase sem amor

4 comentários:

Al Reiffer disse...

Gostei dessa melancolia trágica. Um abraço!

Assis Freitas disse...

névoa e sombras, o sumo


beijo

Jorge Pimenta disse...

grilhões com que apascentamos tudo o que em nós se faz hipótese.

beijinho inadiável!

Mirze Souza disse...

Maravilha!

O limite da vida está mesmo no olhar, no caso "gradeado"

LINDO!

Beijos

Mirze