Música!

terça-feira, 17 de abril de 2012

Quando o silêncio consome as palavras



quando o silêncio consome as palavras
e a boca sede espaço para o nada
como se a verdade fosse feita de nuvem
que esvoaça aos sete ventos
e é desejo de um corpo
que dance sob a pele para sentir que vibra
e vale cada respiração
mas por vezes é preciso dizer adeus
enternecer um sorriso
de "até sempre meu amor"
esse amor que não existe
mas que se inventa
em cada ínfimo do teu corpo


2 comentários:

Assis Freitas disse...

"quando o silencio consome as palavras" é hora da poesia fazer alvoroço



beijo

Noslen ed azuos disse...

já tinha viajado nesta imagem no face,linda!

poesia que envolve por linhas, cabelos.

ns