quinta-feira, 24 de maio de 2012

Dentro de botas impressionistas


estive dentro de botas impressionistas
é incrível como as coisas se destacam
quando somos ínfimos perto de imensidões,
caos que dança em harmonia
de sintonia escura em escuridão terna
misturada com os sonhos
de morar em uma bota impressionista
onde a solidão é compania
sonhei que pintava dentro da bota
os detalhes de dentro
cores de beleza inimagináveis
deitava na sola e olhava o céu
e uma imensidão lá estava
vasta de ínfimos...





9 comentários:

Ana disse...

Essa bota vai dar o que dizer Lú.

beijinho

Jorge Pimenta disse...

há mundos dentro de cada mundo. na conjugação de espaços, tempos, rostos e coisas, pequenos milagres acontecem(-nos).

beijinho, luizita!

Assis Freitas disse...

as botas aguardam o pés, meus olhos desbotam: impressão


beijo

Daniela Delias disse...

Muito linda essa sequência de poemas e imagens. É muito bom te ler!

Bjinhos

CamilaSB disse...

Há magia dentro destas botas
e a poesia que aqui se revela,
é melodiosa e magnífica...
Beijinho e obrigada pelo carinho!

Lara Amaral disse...

Que bonito, Lu!
Como não imaginar mundos assim nas botas de Vincent?!

Beijo.

Samara Bassi disse...

Que bonito, Luiza.
Um beijo,
Sam.

Júllio Machado disse...

Uma "viajem", hein.
Muito legal!

Cris de Souza disse...

dentro da bota há sacada!