segunda-feira, 4 de junho de 2012

Depois do silêncio

depois de tudo
o silêncio permanece
o silêncio é verso sem fim
nos ouvidos de um sonhador
é também morte lenta


depois,
nada ainda compensa

15 comentários:

Joelma B. disse...

voz e imagem em cumplicidade com o silêncio...

beijinho, Luiza!!

Cristiano Marcell disse...

Forte! Muito belo, mas forte!

Uma pancada dada com palavras!

Muita paz!

Cristiano Marcell disse...

Forte! Muito belo, mas forte!

Uma pancada dada com palavras!

Muita paz!

Lara Amaral disse...

O poeta vive em transe com o silêncio, também pudera, este guarda tudo o que ele ainda não conseguiu escrever.

Tão belo, Luiza!
Beijo.

Assis Freitas disse...

o nada e o silêncio me preenchem,


beijo

Leonardo B. disse...

[onde a palavra,

haverá sempre um silêncio por semente.]

um imenso abraço, Luíza

Leonardo B.

Cris de Souza disse...

o silêncio sabe das cousas...

beijo, luluzinha!

CamilaSB disse...

Compensa... quando o silêncio
observa e sente...
ainda que, por breves momentos,
os versos e os desenhos dos pássaros
que voam na noite. Um beijinho e obrigada pelo carinho!

vieira calado disse...

Olá, boa noite!
Achei interessante este pequeno poema!

Bjsss

Noslen ed azuos disse...

muito bom este desenho e o poema deu uma complementariedade obscura, mas ñ menos atraente.

bjs
ns

Daniela Delias disse...

"O silêncio é verso sem fim". Moça querida que sabe das coisas...

Te beijo,

Dani

Bípede Falante disse...

Depois de tudo
resta a poesia e o desenho
e a harmonia.
beijoss

Samara Bassi disse...

Uma continuidade da palavra, que silencia, mas não quer se calar.

Lindeza, Lú.
Meu beijo,
Sam.

Jorge Pimenta disse...

luizita,
algures entre o silêncio e as nossas verdades... quanto nos define?

do mais bonito que li sobre silêncios, mãos que falam e poesia.

beijinho!

Antonio Carlos disse...

Silêncio lento, triste e eterno. Linda poesia amiga, beijos.