domingo, 12 de agosto de 2012

Do que é maior

intento que o silêncio
seja maior que nós
que qualquer palavra
seja demasiadamente mínima
para preencher este espaço
de tanta distância
então, revolvo minha sede
nada nem ninguém
nos salvará

a não ser talvez isso:
um silêncio íntimo
e infinito que pulsa
na casa do coração

(Luiza Maciel Nogueira)

O desenho é uma homenagem para um grande filósofo Gaston Bachelard, que já dizia que a casa é um "estado de alma".

publicado também no http://minimoajuste.blogspot.com

10 comentários:

D.Everson disse...

desenho e poema duas obras primas

AC disse...

Quando o silêncio dispensa palavras então é porque encontrámos a nossa morada.
Excelente, Luiza!

Beijo :)

Cris de Souza disse...

Sinto em estado de graça!

Beijo, Lu*

marlene edir severino disse...

Silencio

e sorvo teu poema

Beijo, Luiza!

Bípede Falante disse...

O silêncio abriga tantos habitantes.
Grandes e pequenos.
Tinha visto esse post lá no Mínimo.
O máximo ele :)
Beijoss

migalhas disse...

ola , vi o seu comentário num outro blog e saí correndo para o seu blog, vendo seu magnifico espaço, adorei imenso, mas tenho um convite para fazer, se voce gostar de poesia venha visitar e dar a sua opinião aos meus poemas http://assombrado-mc.blogspot.com

Fred Caju disse...

Massa mesmo. E dessa vez viajei além da conta no desenho.

Ira Buscacio disse...

Na casa do coração mora o mundo e até o silêncio.
Coisa mais linda esse poema e confesso que fiquei arrebatada com o desenho.
Bj grande e boa semana

P.S. não, não trabalho com teatro. Trabalhei com a música e fui compositora, pelo menos tentei, durante 10 anos, nesse período, até fiz uma tímida investida no teatro. A convite do neto do Procópio Ferreira. Dividi, com ele, os textos de uma peça (musical) e letrei as músicas, mas adoro o genêro!

LauraAlberto disse...

tal como tu ando sempre às voltas com o silêncio

bachelard e Maciel Nogueira de mãos dadas, bem dadas

beijinho

Deyvid Galindo Santos disse...

Nossa senhora! Lindo demais. Estou profundamente silencioso. Tocante.