domingo, 26 de agosto de 2012

Um oceano II


eu não sabia fazer do silêncio
um oceano
deixar as ondas dançarem
sob o mar
permanecer inerte pela beleza
única do silêncio
este que tremeluz em notas
sempre tão passageiras
os sons da despedida

eu não sabia escutar
a passagem de tudo de me partia
em pedaços
das coisas que me escorregavam
de repente
do silêncio, do ínfimo, da imensidão
que dura e perdura
enquanto...

9 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Arte linda, Lu, exuberante...E o silêncio que perdura, belamente, como tema de uma canção...

Beijos,

Rafael Castellar das Neves disse...

Ótimo!! Gostei!

Gosto de coisas sobre o oceano e - engraçado - sempre penso neste fundo surdo, escuro e imenso..

[]s

Bípede Falante disse...

Concordo com o adjetivo da Tania: exuberante!
Estou ainda desfrutando a sensação de força e luz que há aqui.
Beijoss

Toninhobira disse...

Um oceano para a infinita inspiração agasalhada neste silencio que fala das emoções ao coração.Aplausos Lucia na bela construção.
Abraços.

Toninhobira disse...

Desculpe Luiza pela rroca de nome.

Assis Freitas disse...

esse desconhecimento me habita também, e não foge de mim



beijo

Fred Caju disse...

Te coloquei por aqui: http://cronisias.blogspot.com.br/2012/08/luiza-maciel-nogueira.html

Cris de Souza disse...

As lágrimas mais salgadas caem justamente em silêncio.

Belo, Lu!

Beijo, querida*

Bípede Falante disse...

não consegui entrar no outro blog :(

beijos