quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Tocaste


tocaste meu coração num dia frio
onde o tempo morria de infinidades
onde a ternura era escassa
tocaste minhas veias como cordas
no exílio de seu instrumento
como um pedaço de pele
alucinado na areia no encontro de seu mar
pedaço de terra, inocência
tocaste meu coração num dia frio, gelado
numa parte já dormente
tocaste sua canção no meu precipício
sem fim, enfim...
e eu nunca mais voltei a te procurar 
mas sonhei
na rouca solidão que nos despia


*para Carla Diacov que me tocou com seu poema (http://odesimundasdoneochiqueiro.blogspot.com.br/2012/10/tira-o-giz-do-nariz-luiza-ensaio-para_25.html) e me inspirou a escrever este.


domingo, 14 de outubro de 2012

Prece de sobrevivência

o silêncio, essa canção do tempo
 que ora a vibração da terra
a poesia esta que lança luz
sob o movimento das coisas
o homem, este ser capaz
de escurecer ou iluminar
as vertigens do tempo,
a idade das pedras,
o sorriso da lembrança,
a esperança na desesperança
o desenho oco do vazio
pleno de mistérios

*talvez neste dia
tudo se baste
por si só

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Para não esperar mais o que não pode ser

espero não esperar pra sempre
a única coisa que importa
que não voltar a alguns cantos
seja a minha melhor escolha
e que a desistência do passado
seja um passo para o presente
espero que as pessoas e eu,
todos nós possamos viver em paz
eu espero, de coração espero,
porém sei ser algo quase impossível
então que cada um carregue ao seu modo
sua guerra com o tempo,
com o modo como aprendemos
a brigar para sobreviver
nessa selva que se chama coração



terça-feira, 2 de outubro de 2012

Em belos cantos poéticos*

Junto com a grande poeta Carla Diacov que me fez um lindo mimo aqui: 
http://odesimundasdoneochiqueiro.blogspot.com.br/2012/10/tira-o-giz-do-nariz-luiza-gotas.html

*grata Carla, uma mensagem que chegou no momento certo


Estive com a maravilhosa poeta Dade Amorim:
http://inscries.blogspot.com.br/2012/10/tempo-tempo.html

*grata Dade, adoro demais tua poesia!



Outro dia estive com a incrível poeta Joelma Bittencourt em:
http://transfiguracoes.blogspot.com.br/2012/09/antessala.html
http://transfiguracoes.blogspot.com.br/2012/08/prenuncios-sob-lagrimas-temporas.html

*Grata Joelma, teus versos trazem luz e descontração para os instantes



***Não podia estar melhor acompanhada por essas poetas


Para voar

"nada viveu quem jamais sofreu"
era o refrão que a música dizia
ao pé do ouvido
e tudo que jamais imaginara, aconteceu
como de repente aquilo fosse apenas
um pedaço ínfimo e insignificante
e as palavras fossem portas
para alguma profundeza distante
cujo segredo estava encoberto
por uma imensa camada
de pensamentos, crenças
e tantas mentiras
que às vezes contamos
cargas pesadas
muitas das quais o impediam
de voar