quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Fragmentação

a poesia mora
em pequenos pedaços
de esperança
talvez também more
em corações partidos
numa ferida que se abre
para escorrer sangue:
verso que goteja
d
e
s
e
s
p
e
r
a
d
a
m
e
n
t
e
.
.
.

8 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Dois poemas, Lu, com belezas singulares, diversas, de versos...Sou testemunha do quanto se agigantam seus versos e sua arte: parabéns! Amei.

Beijos,

Assis Freitas disse...

a poesia é sempre "more",

d
e
s
c
o
n
t
i
n
u
a
d
a
m
e
n
t
e


beijo

Toninhobira disse...

E os versos gotejam sobre o poema criando emoções.Cada gota solta um suspiro na inspiração.
Lindo demais Luiza.
Abraços.

Ira Buscacio disse...

Com poesia também se faz uma flor
bj, Luiza

Sônia Brandão disse...

E ela mora também nos teus desenhos.
bjs

Fred Caju disse...

Faz morada em tudo.

CamilaSB disse...

O verso goteja da Flor
que com inspiração e arte
cria a beleza e borda o poema
com gestos de amor :)
Lindo Luiza, adorei! Bom domingo!

Bípede Falante disse...

desesperadamente intensamente perdidamente...

beijoss