segunda-feira, 4 de março de 2013

ele era feito de poesia

ele era feito de poesia
dos pés até a cabeça
seu riso largo revolucionava
versos, miragens, sonetos
e toda a constelação dos sonhos
tudo o que ele tocava
se transformava em poesia
não sei o que aconteceu
se ele deixou de ser poesia
ou se meus olhos perderam a poesia,
mas um belo dia poesia foi embora
os olhos se fecharam
e a poesia era rara
como se nunca existisse
nula, insignificante, inexistente




6 comentários:

Ana disse...

Muito lndo Lú, um beijinho.

Assis Freitas disse...

feitio de poesia que voou,


beijo

Clarice Villac disse...

Belo poema, tão expressivo !
A combinação com os desenhos é maravilhosa !
Parabéns !

LauraAlberto disse...

tão belo
tão doce

que no éter sumiu

beijinho

Tania regina Contreiras disse...

Quando a poesia se vai, ela fica nessa sua arte tão cheia de delicadezas! :-)

Beijos, Lu

Carla Diacov disse...

Linda!