terça-feira, 23 de abril de 2013

Eu vi um fantasma II


o que querem meus fantasmas
me mostrar o infinito? a dor?
o distúrbio? a loucura?
obssessão? amor?
o que querem estes fantasmas
que não param de surgir na minha frente
com faces semelhantes, jeitos parecidos
sorrisos que salvam, confundem, instigam
o que querem eles comigo
que não param de aparecer
quem são e para onde irão,
o que planejam?
serão fantasmas, pessoas, sonhos
existem sorrisos que salvam
olhos que enlouquecem
tempo suficiente para quase tudo
sorriso suficiente até o fim do mundo
tempo que sobra para sonhar o agora
na pele de todos os sentidos
na superfície do já
a paz ou o caos prevalece
e o que prevalece
CRESCE


3 comentários:

Tania regina Contreiras disse...


Dialogar com os fantasmas é muito bom. De um modo geral, eles têm muito a nos dizer. Muito bacana esses dois últimos poemas povoados de fantasmas e a arte então!!!

Beijos, Lu!

Anônimo disse...

doidinha eu te adoro

Assis Freitas disse...

a paz ou o caos: amálgama



beijo