terça-feira, 21 de maio de 2013

Poema de pó ou outra coisa qualquer

é sempre silêncio quando se inicia um poema
é sempre urgente o poema que surge do silêncio
mesmo sem saber fazer poema
do silêncio que urge nos ouvidos

toda palavra tem a sua pequena liberdade
que voará em outros olhos, 
atravessará outra dimensão
pode se transformar em pó, pássaro, flor  
ou outra coisa qualquer

dentro das coisas qualqueres
existem os máximos e os mínimos da liberdade
mas um poema deve ser oco para ressoar
deve ter um vazio de quem escreve
seu último suspiro 


*

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Matagal


matagal é a minha palavra preferida
começa com um cheiro de mato, de forno de lenha,
os grilos, os bichos, as árvores 
e depois é um verde perfume da terra
gosto das canções que dizem do mato
como "Pantanal" e modas de caipira
tem tantos títulos para uma canção 
se soubesse escrever uma canção
escreveria uma do mato, da terra, dos pássaros
dos seres que se esgotam, que se rarificam
daquele pedaço que raros os que preservam
matagal é a minha palavra preferida
e anda tão escassa nas canções, nos poemas, nos livros
seria um título de grande raridade
perfeito para uma de suas obras
Matagal era o mundo, mas o mundo deixou de ser matagal
e assim o homem destruiu grande parte de si
se eu soubesse escrever e as pessoas soubessem escutar
o matagal florescia nos olhos dos outros
nos olhos teus
nos olhos, nos ouvidos e no coração 
o matagal te habitaria
com toda a sua ternura de terra e mãe
mas como não sei, 
peço que escrevam a palavra "matagal"
cantem, recitem, gritem, sussurrem:
"Matagal"

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Da sinceridade inadiável


- Mia somos tolos demais para suportar o amor, tolos em demasia, demasiadamente tolos...é uma dança de idiotas uns atrás dos outros, passos em euforia ou depressão, egos, orgulhos, preconceitos e ninguém ama como quer. Cada qual ama como pode, mas o amor é inexplicável.

- Às vezes é preciso escutar o silêncio. Não saberemos sempre de todas as respostas, não precisamos saber. Cada um cria a sua própria resposta ou aprende a contemplar o silêncio...ou busca pelas respostas em outros lugares, quase sempre os piores lugares...terras de ninguém. Eu te procurei onde você nunca esteve e você me buscou onde eu nunca estive. Agora é preciso buscar em outros cantos. Dentro ou fora, não importa. Acho que ele está em toda parte...depende muito dos olhos conseguirem alcançar a luz, as sombras, a vida e o silêncio. Esse que respira independente de nós...

*

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Poema para ser feliz


imagino que dentro da esperança
um guardachuva dança pelo vendaval
na tempestade de todos os delírios
como as lembranças dançam sob o precipício
de um passado envolto de saudade
abraço quem me quer bem
já não grito pela estrada
nem enlouqueço a vizinhança
das intuições, dos neurônios
e da paisagem definitiva dos olhos
rio de quem não me quer bem,
de quem me quer longe
corro e agradeço a tempestade,
tanto como o sol que aquece
agradeço a vida que existe em cada ínfimo
e esqueço todas as bobagens
que não valem perder tempo
mas lá dentro da esperança
um guardachuva dança

Poema para os olhos

guarde nos olhos
um pequeno universo
cheio de mistérios
e não negue sua imensidão
seu som, seu silêncio, seu amor


*