sexta-feira, 17 de maio de 2013

Matagal


matagal é a minha palavra preferida
começa com um cheiro de mato, de forno de lenha,
os grilos, os bichos, as árvores 
e depois é um verde perfume da terra
gosto das canções que dizem do mato
como "Pantanal" e modas de caipira
tem tantos títulos para uma canção 
se soubesse escrever uma canção
escreveria uma do mato, da terra, dos pássaros
dos seres que se esgotam, que se rarificam
daquele pedaço que raros os que preservam
matagal é a minha palavra preferida
e anda tão escassa nas canções, nos poemas, nos livros
seria um título de grande raridade
perfeito para uma de suas obras
Matagal era o mundo, mas o mundo deixou de ser matagal
e assim o homem destruiu grande parte de si
se eu soubesse escrever e as pessoas soubessem escutar
o matagal florescia nos olhos dos outros
nos olhos teus
nos olhos, nos ouvidos e no coração 
o matagal te habitaria
com toda a sua ternura de terra e mãe
mas como não sei, 
peço que escrevam a palavra "matagal"
cantem, recitem, gritem, sussurrem:
"Matagal"

9 comentários:

Tania regina Contreiras disse...


Que grande, Luiza...Que importante. Que seja nosso refrão, nosso mantra: matagal, matagal, matagal... Eu adoro e sinto saudades.

beijos,

marlene edir severino disse...

Sinto-me plena quando cercada de verde, mata fechada e aqui, no quintal... Catando um matinho aqui, outro ali, ouvindo pássaros, colhendo fruta.
Gostei muito, Luiza!
Beijo pra ti!

Assis Freitas disse...

replico teu canto matagal, floração para todos os tons



beijoo

Fred Caju disse...

Que delícia de ler.

dade amorim disse...

Muito bom, Luiza, esse falar de "Matagal", que nos inspira e sugere tanta coisa.

Beijos pra você.

Jota Effe Esse disse...

Matagal não tem só cheiro de mato, tem também de animal, e tudo vai mal, porque o homem também é um animal, mau! Meu beijo.

byTONHO disse...



Matagal! Matagal! Matagal!
Um dia 'Gal' canta...
cresce e vira MATA!

Lindo!

:o)

jose reginaldo disse...

MATAGAL,O TERMO É LINDO,A VISTA DE É LINDA,MATO É VIDA EM ERUPÇÃO,ASSIM COMO A EXPLOSÃO DE SUA POESIA.

Sônia Brandão disse...

Esse matagal continua vivo, pulsante, dentro de nós.

bjs