Música!

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Poeminha dizível


banhar a tua face de pássaros
jogar na tua cara músicas
abrir a gaveta da sorte
para encontrar a chave do teu sorriso
adormecer no teu peito
envolver-te, envolvendo-me de amor
suspender o tempo neste instante
beijar a boca da infinitude
ir além do impossível
tocar a pele do verso que nasce
indizível 


*

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Faísca de loucura

faísca de chuva no profundo dos olhos
quase nunca percebemos a realidade, 
quase nunca vemos alguém
espelho, reflexo, sombras, luzes 
tudo ao mesmo tempo, sem explicação
labirintos procuram razão
pra quando falta ar pro coração
mas todo o silêncio se consome 
faísca de chuva no profundo dos olhos
onde o tempo nasce, 
onde se gesta paisagem
onde a verdade é inventada
dentro de uma lágrima
gota que tece desejo
anseio de vida que pulsa
faísca de loucura


terça-feira, 13 de agosto de 2013

Poema plenamente ridículo



a porta bateu na minha cara
bateram a porta na minha cara
e depois fingem que não, que foi engano
que foi sem querer, querendo
na minha cara de pessoa tão tristemente feliz
bateram a porta
e depois depois depois ainda fingem que não
mas eu muito bela, tão lindamente bela 
tão belamente ridícula
devo ter cara de porta





*