quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Poeminha dizível


banhar a tua face de pássaros
jogar na tua cara músicas
abrir a gaveta da sorte
para encontrar a chave do teu sorriso
adormecer no teu peito
envolver-te, envolvendo-me de amor
suspender o tempo neste instante
beijar a boca da infinitude
ir além do impossível
tocar a pele do verso que nasce
indizível 


*

5 comentários:

Assis Freitas disse...

que belo, que belo

esta tua face de pássaros


beijo

D.Everson POETA DE MARTE disse...

Minha filha vc pinta e escreve divinamente! vc é não existe! =***

Tania regina Contreiras disse...


Que lindo, beijar a infinitude!

Beijos, linda!

marlene edir severino disse...

É "abrir a gaveta da sorte"
mesmo!

Abraço, Luiza!

jorge pimenta disse...

oração para urgências e fulgurações. e eu rezo.

beijos, luísa!