terça-feira, 24 de setembro de 2013

Pôr do sol foi ser mar



pôr do sol foi ser mar 
no espelho d'água 
e abriu um raio de luz 
do seu amor pelas águas
num repouso do seu calor
na superfície das águas
amaram-se num repente
Sol e Mar
até chegar a noite
e dessa vez 
as estrelas amarem as águas
Incondicionalmente
Infinitamente
Inabalavelmente 
até chegar o sol

(Luiza Maciel Nogueira)

3 comentários:

Domingos Barroso disse...

fazia tempo que eu não lia
um poema tão elegante
com as imagens
e de viço
ritmado
...


abraço carinhoso...

(o título já é o prelúdio
do arrebatamento
"Pôr do sol foi ser mar")

maravilhoso...

Tania regina Contreiras disse...

Eu continuo lendo ternuras, água, líquido amniótico...rs...e tudo tão belo!

Beijos, Lu

Assis Freitas disse...

que lindo,


adoro


beijos